Home Notícias Brasil Caso Henry: justiça determina quebra de sigilo telefônico de pais e do padrasto do menino

Caso Henry: justiça determina quebra de sigilo telefônico de pais e do padrasto do menino

1 minutos lido
266

Agentes da 16ª DP (Barra da Tijuca) cumpriram nesta sexta-feira (26) quatro mandados de busca e apreensão, dentro das investigações da morte do menino Henry Borel, em diferentes endereços no Rio.

Caso Henry: justiça determina quebra de sigilo telefônico de pais e do padrasto do menino – Imagem: Divulgação

A polícia reteve celulares e computadores da mãe, do padrasto e do pai do garoto de 4 anos, que morreu no dia 8 de março, em circunstâncias ainda não esclarecidas.

Onde a polícia esteve:

Casa do vereador Dr. Jairinho, padrasto de Henry, na Barra da Tijuca;
Casa do ex-deputado estadual Coronel Jairo, pai de Jairinho, em Bangu, onde o vereador estava;
Casa da família de Monique Medeiros, mãe de Henry, em Bangu, onde ela estava;
Casa de Leniel Borel, pai de Henry, no Recreio.
Os mandados foram expedidos pelo 2º Tribunal do Júri da Capital. A Justiça decretou ainda a quebra do sigilo telefônico de todos os alvos.

O apartamento da Barra onde a criança foi encontrada desacordada no último dia 8 de março foi interditado até que a polícia realize novas perícias.

As chaves do imóvel deverão ser entregues à polícia, e uma viatura da PM deverá ficar baseada no local por 30 dias.

Houve uma busca também para a casa do pai do menino, Leniel Borel.

Apesar de o engenheiro ter entregue o menino na casa de Monique oito horas antes de Henry dar entrada no Hospital Barra D’Or, já morto — aparentemente sem qualquer indício de lesão (de acordo com o depoimento da própria Monique) —, os investigadores querem esgotar todas as possíveis linhas de investigação.

Comentários com Facebook
Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por No Amazonas é Assim
Carregar Mais Em Brasil

Leia Também

Mãe vende filha recém nascida por R$ 200 e ainda parcela em duas vezes

Acusada de vender a filha recém-nascida por R$ 200 no ano passado, Marilza Medeiros da Con…