Home Notícias Brasil Conheça a história dos “Bocas Negras”, que já inspiraram muito terror!

Conheça a história dos “Bocas Negras”, que já inspiraram muito terror!

1 minutos lido
93

Os índios Uru-eu-wau-wau, antigamente conhecido em Rondônia como os “Bocas Negras”, já inspiraram muito terror nos primeiros habitantes de Rondônia.

Texto da FUNAI:
Os Uru-eu-wau-wau, como eram conhecidos os Jupaú, apareceram com frequência na mídia a partir do inicio da década de 1970, quando o avanço da frente expansionista sobre suas terras e os conflitos causados pelas invasões ganharam a atenção dos grandes jornais. A partir de 1980 foram iniciadas as frentes de contato da Funai, para atração e pacificação, mas os conflitos continuaram acontecendo pelo menos até 1985.

Os Uru­-Eu­-Wau­-Wau se auto­denominam Jupaú e vivem na Terra Indígena Uru­-eu­-wau­-wau, onde vivem também os Amondawa, os Oro­ Win (que pertencem à família linguística Txapakura), além de três grupos isolados: Yvyraparakwara, Jururey e um cujo nome é desconhecido. Encontram­se distribuídos em 6 aldeias (Limão, Alto Jamari, Linha 621, Linha 623, Aldeia nova e Alto Jaru), nos limites da Terra Indígena, por questões de proteção e vigilância.
Os Jupaú traduzem sua autodenominação como “os que usam jenipapo”. Muitos foram os nomes atribuídos aos esses índios. As denominações Bocas ­Negras, Bocas-Pretas, Cautários, Sotérios e Cabeça­ Vermelha, são encontradas na historiografia e estão relacionadas ao espaço geográfico ou a semelhanças culturais e linguísticas dos Jupaú e Amondawa, ou a grupos Kawahib em geral.

Após o contato, no início dos anos 80, ocorreu um decréscimo populacional significativo nesses grupos da região. A população passou de 250, em 1981, para 89 em 1993, particularmente entre o povo Jupaú. Cerca de 2/3 foram eliminados em razão de conflitos e das sucessivas doenças que assolavam as aldeias, principalmente as infecto-respiratórias. Nos anos seguintes a 1993 houve uma pequena retomada no crescimento populacional, em parte pela demarcação, fiscalização e vigilância da TI.

As seis aldeias habitadas pelos Jupaú tinham, em 2015, um contingente populacional de 85 pessoas. Na Terra Indígena Uru-Eu­-Wau­-Wau há ainda quatro aldeias habitadas pelos Oro Win, uma dos Amondawa – a aldeia Trincheira – , além de duas barreiras da Fundação Nacional do Índio: Bananeira, da Frente Etnoambiental Uru­-Eu­-Wau­-Wau, e Floresta, que foi abandonada pelo órgão.

Por Amadeu Hermes

Comentários com Facebook

Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Marcus Pessoa
Carregar Mais Em Brasil

Leia Também

Pedinte registra boletim de ocorrência contra dono de mercado; Ele alega ter sofrido injúria racial por pedir ajuda.

Homem de 30 anos em situação de rua alega ter sofrido ameaça e injúria racial por pedir aj…