Home Notícias Internacional Vídeo : Desafio do Tiktok deixa adolescente de 13 anos lutando pela vida e com graves queimaduras

Vídeo : Desafio do Tiktok deixa adolescente de 13 anos lutando pela vida e com graves queimaduras

2 minutos tu lês tudo
322

Uma adolescente de 13 anos se tornou mais uma vítima de desafios virais perigosos da Internet. Destini Crane acabou na Unidade de terapia Intensiva (UTI) de um hospital depois de sofrer queimaduras de terceiro grau.

Vídeo : Desafio do Tiktok deixa adolescente de 13 anos lutando pela vida e com graves queimaduras / Reprodução

a garota que chegou a respirar por aparelhos, se acidentou ao tentar realizar o “Fire Mirror Challenge”, que consiste em desenhar uma forma usando um líquido inflamável em um espelho e depois o incendiar.

@jesscutlerx

I couldn’t not post this, I nearly set my ceiling on fire 😭#fyp #trending

♬ Can You Feel My Heart – Bring Me The Horizon


Destini levou ao banheiro da sua casa uma vela, um isqueiro e uma garrafa de álcool isopropílico, que acabou explodindo no espaço mal ventilado.

“Eu estava na sala de estar conversando com minha mãe e a ouvi gritar meu nome. Então eu fui e abri a porta do banheiro e tudo estava pegando fogo. Destini estava pegando fogo. Coisas no banheiro estavam pegando fogo”, revelou Kimberly Crane, irmã da adolescente.

Gravemente queimada no pescoço e no braço direito, a jovem teve que passar por três cirurgias de enxerto de pele. Ela continua internada e provavelmente permanecerá muitos meses recebendo cuidados para se reabilitar, podendo voltar a mover o braço, ombros, pescoço e dedos.

“Por causa das queimaduras, ela terá mobilidade limitada. Isso vai ser uma coisa para o resto da vida, ela fazer fisioterapia para manter a mobilidade”, desabafou uma familiar.

Comentários com Facebook

Carregar Mais Artigos Parecidos
Carregar Mais De Jussara Melo
Carregar Mais Em Internacional
Comentários Fechados

Espia Esse Aqui

É fake news que a Espanha decretou o fim da pandemia!

O governo espanhol tem avaliado a possibilidade de tratar a Covid-19 como uma doença endêm…