Home Notícias Polícia Duas pessoas são alvejadas em tentativa de homicídio em frente a funerária Canaã, em Manaus

Duas pessoas são alvejadas em tentativa de homicídio em frente a funerária Canaã, em Manaus

3 minutos lido
167

Na noite desta segunda-feira (19) o proprietário de uma funerária é suspeito de atirar na sócia, de 34 anos, e em um funcionário do estabelecimento. De acordo com informações da polícia, as vítimas teriam sido baleadas dentro de um carro em frente à funerária, localizada na avenida Major Gabriel, bairro Praça 14 de Janeiro, na zona Sul de Manaus.

Imagem: Divulgação

De acordo com um familiar do proprietário da funerária, o homem teria efetuado os disparos por achar estranho o carro está estacionado com ocupantes dentro e por pensar se tratar de uma armadilha. O suspeito de atirar contra as duas vítimas é policial militar e está foragido.

Segundo nota divulgada pelo advogado da sócia, a vítima esteve no local, por volta das 17h30, juntamente com um oficial de justiça e dois funcionários para cumprir um mandado de busca e apreensão sobre um veículo, modelo Nissan Pathfinder, alvo de uma disputa judicial de divisão de bens provenientes de uma sociedade com o então proprietário da Funerária.

Ainda segundo nota, a vítima e suspeito mantinham sociedade em uma empresa de serviços funerários, e explicou que o carro pertence à ela, mas estava em posse do suspeito dos disparos, o sócio. Após negativa dele de entregar o veículo, a vítima decidiu reaver o bem por meio da Justiça. O processo impetrado pela sócia, em outubro de 2018.

Conforme o advogado de defesa da empresária e sócia do suspeito, Dr. Marcelo Amil, a empresária conta que telefonou para o autor assim que chegou à funerária e, de forma cordial, avisou sobre o cumprimento do mandado. Mesmo com a abordagem amistosa, ele se negou novamente a entregar o veículo e agiu com aspereza e grosseria.

A minha cliente foi vítima de tentativa de homicídio quando ela tentou acompanhar o cumprimento de uma ordem judicial de busca e apreensão de um veículo. Uma ordem expedida legitimamente e cumprida por Oficial de Justiça. O oficial de Justiça decidiu sair do local por não se sentir seguro e informou que voltaria nesta terça-feira, com apoio policial, para cumprir a decisão judicial. A minha cliente permaneceu nas proximidades da funerária fazendo algumas ligações e verificando como seria a ação hoje. Ela chegou a ser ameaça de morte pela companheira do autor dos tiros. Minutos depois, ele saiu de um carro preto e já foi atirando na direção da empresária e dos seus funcionários, numa clara tentativa de homicídio. Ele tentou matar a sócia e o funcionário dela, mas graças a Deus os ferimentos não foram fatais. Nós já iniciamos todos os procedimentos policiais e judiciais, tanto para instauração de inquérito, e vamos fazer as devidas representações ao Ministério Público e acompanhar para que ele seja levado ao Tribunal do Júri, respondendo ao duplo homicídio tentado“, destacou o advogado.

A empresária foi baleada na coxa esquerda e um dos funcionários foi atingido no braço e no peito. As duas vítimas foram levadas por pessoas que passavam pelo local para unidades de saúde distintas e ambos não correm o risco de morte. O funcionário foi operado e segue em avaliação médica no Hospital 28 de Agosto. Já a empresária continua com a bala alojada no corpo aguardando a cirurgia para remoção do projétil.

A defesa esclarece que a ação seguiu todos os critérios judiciais e que, em nenhum momento, houve ataque ao autor. O caso foi registrado no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde foi registrado o Boletim de Ocorrência.

Na manhã desta terça-feira (20), a Juíza de Direito da 15ª Vara Cível e de Acidentes do Trabalho, Ida Maria Costa de Andrade, determinou que o caso seja acompanhado pela Central de Mandados e pela Corregedoria Geral da Justiça.

Comentários com Facebook
Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Jussara Melo
Carregar Mais Em Polícia

Leia Também

Corpo é encontrado amarrado em rio no Educandos

Na manhã dessa quinta-feira (29), o corpo de um homem até o momento não identificado foi e…