Home Notícias Amazonas Exposição artística em escola estadual de Manaus debate tema da saúde mental

Exposição artística em escola estadual de Manaus debate tema da saúde mental

5 minutos tu lês tudo
48
Foto: Eduardo Cavalcante

O uso da arte como finalidade terapêutica foi o ponto chave para a 1ª Exposição Artística dos alunos da Escola Estadual Antonio Encarnação, localizada na zona oeste da capital. Com o intuito de estimular o crescimento individual e ampliar o diálogo acerca da saúde mental, os estudantes da unidade escolar produziram mais de 200 quadros artísticos, todos voltados à arte abstrata.

A iniciativa é executada na unidade escolar junto aos estudantes do Ensino Médio, com idade entre 15 e 18 anos. Além da produção de quadros artísticos, a atividade promoveu ainda diálogos sobre inteligência emocional, prevenção ao suicídio, escrita criativa e outros.

Idealizado pela professora Kinny Derzy, a exposição é fruto do projeto “Arteterapia e arte-educação: o uso da arte abstrata na expressão das emoções”. A iniciativa vem gerando uma série de pontos positivos aos alunos, que expuseram suas obras no período de 30 de novembro a 3 de dezembro.

“Nós buscamos ajudar os nossos jovens por meio da arte, pintura, a liberdade de expressão, a encontrar o equilíbrio emocional. No início, tive que conquistar a confiança dos alunos, foi um trabalho de formiguinha, mas eu percebi que, ao contar a minha experiência, eles se sentiram mais à vontade e abraçaram o nosso projeto”, explicou Derzy.

A gestora da escola, Ione Bezerra, conta que foi disponibilizado um espaço para que os alunos pudessem soltar a criatividade e produzir os seus próprios quadros.

“Nós criamos uma sala na escola onde os alunos se concentram e podem produzir a sua arte, pois, por se tratar de uma arte abstrata, entendemos que é necessário estar num lugar tranquilo, onde eles consigam expressar seus sentimentos, logo, cada quadro artístico tem um significado único”, refletiu.

Superação

A estudante Rebeca Silva, de 16 anos, conta que o projeto de arte a ajudou a superar um momento delicado. “Com a atividade que a professora nos passou, aprendi a abrir minha mente e conseguir perceber coisas que antes não achava ser possível. Então, essa experiência está sendo maravilhosa e vai ficar marcada na minha história para a vida toda”, destacou Rebeca.

O aluno Liam Silva, de 16 anos, conta que a arte o ajudou a enfrentar traumas. “A arteterapia me ajudou a me expressar, a lidar com situações emocionais, e hoje afirmo que vou continuar pintando. Por muitos momentos achei que a arte era muito complicada, mas hoje em dia eu só quero continuar pintando”, finaliza o aluno.

Mais exposições

Ainda durante o evento, outra mostra artística também pôde ser acompanhada. Trata-se da exposição “Coleção de Vanguardas Artísticas”, idealizada pelo professor Manoel Júnior, que enfoca grandes nomes das cinco principais correntes vanguardistas – Futurismo, Cubismo, Dadaísmo, Expressionismo e Surrealismo.

“No Ensino Médio a gente trabalha muito a História da Arte, em particular as vanguardas. Então tendo esse material em mãos, decidi falar com os alunos por meio desse material visual, para que eles pudessem ter a experiência de lidar com vários tipos de artistas vanguardistas. A exposição também tem como propósito debater sobre pontos que são examinados em avaliações externas, como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)”, ressaltou o docente.

Comentários com Facebook

Carregar Mais Artigos Parecidos
Carregar Mais De Alessandro Nuñes
Carregar Mais Em Amazonas

Deixe um comentário

Espia Esse Aqui

Programa de transformação digital dos serviços públicos, criado Roberto Cidade, vira lei

O Projeto de Lei nº 399/2020, de autoria do presidente da Assembleia Legislativa do Amazon…