Faturamento do e-commerce no Amazonas pode crescer 34 vezes até 2022

63

A revolução do e-commerce está chegando com força ao Brasil. O surgimento de novas empresas de entregas rápidas e por aplicativos permite que consumidores e empreendedores tenham acesso a um novo mundo de consumo.

Dados do E-bit (referência em informações sobre o e-commerce brasileiro) revelam que o faturamento das empresas que trabalham com e-commerce bateu R$ 53,2 bilhões em 2018, uma alta de 12% em relação a 2017. O tíquete médio de compras (valor médio gasto em uma compra) do brasileiro está em R$ 434,00.

Outra pesquisa feita pela empresa Rakuten levantou o perfil do consumidor no estado do Amazonas. No estado, o ticket médio chega a R$ 764.97.

“O consumidor amazonense gasta em média mais que o restante dos brasileiros. E, no cenário atual, as entregas levam em torno de 15 dias para chegar na Grande Manaus. Com uso da tecnologia como solução para os entraves de logística, esse tempo vai cair drasticamente, para até 3 dias, incentivando o aumento das compras”, explica Marcos Carvalho, diretor de engajamento da Associação Brasileira Online to Offline (ABO2O).

De acordo com o representante do setor de entregas, o estado do Amazonas pode se tornar um polo do comércio eletrônico no país. “Com o crescimento do e-commerce surge a oportunidade de gerar mais conversão, recompra e uma experiência única para clientes do varejo local. O que representa aumento de renda também para o estado, com crescimento da arrecadação de ICMS na mesma velocidade”, acrescenta Marcos.

Segundo projeções feitas pela ABO2O e empresas do setor de entregas, o faturamento do e-commerce no Amazonas deve crescer 34 vezes até 2022, ultrapassando a casa dos R$ 7 bilhões. A arrecadação do estado com ICMS deve ultrapassar R$ 1 bilhão no mesmo período.

O volume de pacotes entregues no Amazonas atualmente está em 0,1 por habitante, enquanto em São Paulo esse número está em 3,4. No Brasil, são 0,5 pacote por habitante, média bastante inferior à da China, por exemplo, onde são entregues 50 pacotes por habitante.

Faturamento do e-commerce no Amazonas pode crescer 34 vezes até 2022
Faturamento do e-commerce no Amazonas pode crescer 34 vezes até 2022

Comentários