Home Notícias Esporte Jovens indígenas brasileiros de olho na glória olímpica

Jovens indígenas brasileiros de olho na glória olímpica

2 minutos lido
265
Foto: Reprodução/ Reuters/Bruno Kelly

Para as crianças amazônicas que cresceram na água com remos nas mãos, um novo herói e uma nova oportunidade geraram sonhos olímpicos.

O brasileiro Isaquias Queiroz dos Santos conquistou a medalha de ouro nas Olimpíadas do Japão na prova C-1 1000 metros.

Seu sucesso

Ele também ganhou duas pratas e um bronze nas Olimpíadas do Rio em 2016 – inspirou dezenas de crianças a praticar canoagem competitiva em Três Unidos, uma comunidade indígena no rio Amazonas Cuieiras.

“Ele é um remador tão bom, que me motiva a remar todos os dias”, disse Tailo Pontes de Araujo, de 17 anos. “Meu sonho é participar das Olimpíadas e ganhar medalhas.”

Tailo é um dos cerca de 60 jovens de apenas sete anos que se inscreveram no projeto Canoagem Indígena, ou Canoagem Indígena, uma parceria entre a ONG Fundação Amazônia Sustentavel e a Confederação Brasileira de Canoagem.

Muitos dos jovens são indígenas e a maioria fica em casa na água, onde pescam regularmente e viajam nas canoas da família.

Estão acostumados a remar devagar para não assustar os peixes, mas o técnico Nivaldo Oliveira Cordeiro contratou e está treinando em técnicas competitivas.

Eles agora contam com equipamentos adequados e muitos treinam até quatro horas por dia nas águas de Cuieiras.

“Eles praticamente nasceram em canoas indígenas e isso os ajuda no equilíbrio e na resistência”, disse o técnico Cordeiro. “Os tempos deles são excelentes. Eles são rápidos e têm resistência e estão melhorando a cada dia. ”

Cordeiro acredita que Tailo, em particular, tem chances de emular seu herói, mas talento não falta.

O projeto está em andamento desde 2019 e o recente triunfo de Queiroz no Japão gerou um novo afluxo de jovens aspirantes.

“O Tailo é um aluno que acho que vai ser um dos mais fortes e também tem a técnica”, disse Cordeiro.

“Depois que o Queiroz conquistou o primeiro lugar nas Olimpíadas de Tóquio, cada vez mais crianças me procuram no Whatsapp e querem se inscrever. Nossas portas estão abertas. Mesmo em uma região onde todo mundo cresceu com canoas as pessoas não sabiam o que era canoagem. Hoje está crescendo a cada dia. ”

 

 

 

 

Fonte: Reuters

Comentários com Facebook

Receba nossas notícias no seu e-mail 📩:
Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Alessandro Nuñes
Carregar Mais Em Esporte

Leia Também

Manaus empata diante do Ypiranga-RS pela Série C do Brasileirão

O Gavião do Norte terá mais três jogos decisivos em busca do acesso à segunda divisão do f…