Home Notícias Política Líder do PDT na Câmara diz que partido votará ao contrário no segundo turno para barrar a #PECdoCalote

Líder do PDT na Câmara diz que partido votará ao contrário no segundo turno para barrar a #PECdoCalote

5 minutos tu lês tudo
27

A poucas horas do previsto para a segunda votação da PEC dos Precatórios na Câmara, o deputado federal e líder do PDT na Casa, Wolney Queiroz, disse que o partido conseguiu mudar a posição da bancada sobre o texto. O anúncio ocorre em meio a ameaças de políticos deixarem o PDT caso a proposta seja aprovada.

“Hoje à noite, por maioria, decidimos mudar a posição da bancada na votação em segundo turno da PEC 23. A decisão se deu em nome da preservação da nossa unidade partidária”, confirmou Wolney de madrugada pelo Twitter.

Como noticiou o colunista Leonardo Sakamoto, do UOL, a vereadora Duda Salabert, o deputado estadual Goura Nataraj e o deputado federal Túlio Gadelha divulgaram uma carta com a intenção de abandonar o PDT se a sigla votar novamente a favor da PEC.

“Assim como Ciro Gomes suspendeu sua pré-candidatura à Presidência como forma de apelo para que parlamentares do PDT mudem sua posição em relação à PEC dos Precatórios, entendemos que nossa permanência no partido será também repensada caso a bancada do PDT mantenha os votos favoráveis à PEC dos Precatórios”, afirma o documento.

O PDT trabalha desde quinta-feira (4), quando o texto foi aprovado em primeiro turno na Câmara, para reverter a posição dos parlamentares. O presidente do partido, Carlos Lupi, disse ser “possível acontecer a mudança”.

A PEC prevista para ser votada hoje abre espaço orçamentário para o Auxílio Brasil, nova versão do Bolsa Família, e revê formas de quitar os precatórios, que são dívidas do governo com pagamento estabelecido pela Justiça. Por isso, é chamada por críticos de “PEC do calote”.

Se aprovado em dois turnos na Câmara, o texto seguirá para o Senado.

Outros partidos tentam mudança

Além do PDT, o PSDB e o PSB também se movimentaram para orientar os parlamentares a votarem contra a proposta. Ontem, o presidente do PSB, Carlos Siqueira, falou ter desistido da articulação.

Horas depois, o deputado Federal Alessandro Molon (PSB-RJ) disse que a sigla continuava trabalhando para rejeitar a PEC. “A nossa expectativa é de que os colegas da oposição que votaram a favor dessa PEC revejam sua posição”, afirmou, em entrevista ao Jornal das Dez, da Globo News.

Já a estratégia do PSDB, segundo o presidente nacional, Bruno Araújo, é barrar a proposta no Senado. “Em respeito a compromissos históricos, os senadores defenderão o legado do partido. O PSDB tem convicções já demonstradas de que é possível equacionar políticas de auxílio e distribuição de renda sem ferir de morte o frágil equilíbrio fiscal, ameaçado pela PEC”, falou.

10.fev.2021 – Deputado Wolney Queiroz (PDT-PE), durante sessão deliberativa na Câmara Imagem: Najara Araujo/Câmara dos Deputados
Comentários com Facebook

Carregar Mais Artigos Parecidos
Carregar Mais De Marcus Pessoa
Carregar Mais Em Política

Deixe um comentário

Espia Esse Aqui

Programa de transformação digital dos serviços públicos, criado Roberto Cidade, vira lei

O Projeto de Lei nº 399/2020, de autoria do presidente da Assembleia Legislativa do Amazon…