Nos Siga nas Redes Sociais
MANAUSAsfalta Manaus – pavimentando o caminho de uma nova cidade
Manaus, AM, quarta, 28 de setembro de 2022

Política

Lula avança na Frente Ampla e conta agora com apoio de 6 ex-presidenciáveis de 2018. Destaque para Meirelles

Publicado

no

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, da Coligação Brasil da Esperança, receberam, nesta segunda-feira (19/09), o apoio de ex-candidatos à Presidência da República em eleições anteriores. Entre os presentes estavam Marina Silva, João Vicente Goulart, Cristovam Buarque, Guilherme Boulos, Luciana Genro e Henrique Meirelles.

O encontro em São Paulo (SP) reforçou a unidade democrática em torno da chapa Lula-Alckmin contra a sombra do fascismo e os arroubos golpistas de Jair Bolsonaro, explicou Aloízio Mercadante, que é coordenador do programa de governo da Coligação.

O ex-presidente Lula afirmou que a reunião simboliza a vontade que as pessoas têm de recuperar a democracia. “Todo mundo sabe que a democracia não é um pacto de silêncio. Todo mundo, silenciosamente, vendo um governo governar. Não! A democracia é exatamente o contrário: é a sociedade se movimentando dia e noite na perspectiva de conquistar melhores condições de vida para o povo brasileiro, para mulheres, para homens, para aqueles que trabalham no país”, declarou.

E prosseguiu. “O que vocês estão fazendo no gesto de hoje, companheiros, é assumindo um compromisso. E não é um compromisso com o Lula. É um compromisso de que esse país vai voltar a viver democraticamente. A sociedade vai participar das principais decisões desse país. Essa reunião simboliza a reconstrução do Brasil”, completou.

Fernando Haddad, que herdou a candidatura quando Lula foi impedido de disputar as eleições de 2018, também esteve presente. Atual candidato ao governo de São Paulo, ele destacou que a mesa reuniu de socialistas a liberais, sendo a mais representativa da história democrática brasileira.

“Nós estamos aqui para celebrar, justamente, a liberdade e nossas diferenças. Do lado oposto o que existe é o autoritarismo. E não existe democracia quando uma força política que está no poder quer anular as diferenças”, declarou.

Haddad disse também que o Brasil tem sido vítima de golpes sequenciais, com o afastamento presidenta Dilma Rousseff “no arrepio do que diz a constituição”, e a perseguição do presidente Lula quatro anos atrás. “Agora, chegamos em 2022 com condições de colocar esse país de novo nos trilhos do desenvolvimento com justiça social e democracia”, completou o ex-prefeito de São Paulo.

Guilherme Boulos reforçou que a reunião de pessoas que representam campos distintos da política brasileira, com suas diferenças conhecidas publicamente, tem como objetivo preservar a democracia para derrotar “um candidato fascista que ameaça as liberdades”.

“Eu acredito que esse encontro vai ser lembrado mais adiante como um momento histórico. Há quase 40 anos nós tivemos um palanque que uniu pessoas diferentes exigindo eleições diretas para derrubar a ditadura. Uma geração antes da minha enfrentou censura, tortura, mortes, para que a gente pudesse estar aqui hoje e eleger nossos representantes. Então nós estamos juntos com o intuito dessas conquistas e liberdades não escaparem das nossas mãos”, disse.

Ex-presidente do Banco Central, Henrique Meireles afirmou que sua vida pessoal e profissional sempre foi baseada em fatos, citando que na primeira gestão de Lula milhões de empregos foram criados, além de 140 milhões de brasileiros saíram da pobreza, com o país tendo um crescimento médio de 4% ao ano.

“Durante aquele período tivemos um crescimento forte. Eu sei o que funciona e que pode funcionar de novo. Agora, o dinheiro que Jair Bolsonaro está colocando na economia de forma eleitoreira criará um problema para o ano que vem, mas nós podemos resolver”, afirmou.

Unir os antagônicos

Geraldo Alckmin recordou que os presentes no encontro desta segunda foram adversários em algum momento, incluindo ele, em sua disputa contra Lula em 2006, mas que todos tinham projeto e o que sempre prevaleceu foi a democracia.

“A gente percebe nos últimos dias um cenário positivo, a população entendendo a importância dessa eleição, e a nossa união, essa pluralidade, mostra espírito público, capacidade de união que o Brasil precisa nesse momento triste que a gente vive do ponto de vista democrático, social, ambiental e econômico”, afirmou.

Alckmin explicou ainda que o encontro desta segunda serviu para que cada um dos presentes, nessa reta final de campanha, dentro da sua área de atuação, faça um esforço redobrado para conquistar votos necessários para derrotar o antagônico. “Lula representa uma grande esperança para o povo brasileiro”, declarou.

Também participaram da reunião Randolfe Rodrigues, senador pelo estado do Amapá, Juliano Medeiros, presidente nacional do PSOL, e Edinho Silva, prefeito de Araraquara.

Segundo Luciana Genro, a frente que hoje se une é antifascista. “O projeto representado pelo Bolsonaro, embora ele não tenha conseguido implementar no primeiro mandato, é fascista. Ele quer eliminar seus adversários. Nos unimos em torno do Lula porque nós achamos que sua eleição vai permitir que a gente possa lutar por uma verdadeira democracia”, disse ela.

“Essa unidade no primeiro turno nos coloca esse desafio de impedir que a violência seja ainda maior no segundo turno e que a gente possa garantir as liberdades democráticas. As mulheres serão as grandes protagonistas da vitória do Lula. São elas que carregam o piano das famílias e são as que mais estão enxergando a necessidade de derrotar o projeto fascista de Bolsonaro.”

Ex-ministro da Educação e ex-governador do Distrito Federal, Cristovam Buarque afirmou que Lula é a melhor opção para governar o país e trazer coesão e rumo. “Nós precisamos barrar o assombro da eleição, dessa tragédia brasileira de ter Bolsonaro reeleito. Não é responsável ter um segundo turno por causa da violência na rua e das fake news por parte dos bolsonaristas.”

No encontro, a ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, defendeu a reconciliação dos brasileiros. “É preciso uma reconciliação do Brasil consigo mesmo, e Lula reúne as melhores condições para nos ajudar a realizar. A banalização do mal é quando existem pessoas, diante da morte, que é um dos momentos mais difíceis da vida, tripudiando a dor daquele que está enlutado. Diante dessas circunstâncias, nós temos que ter condições de derrotar Bolsonaro e colocar um freio no bolsonarismo.”

João Vicente Goulart afirmou que o país vive um momento histórico tão importante quanto o vivido após o golpe de 1964. “Neste momento, todos aqueles que lutaram pela democracia, que tombaram no caminho da restauração democrática, todos que tiveram presentes nas reivindicações junto ao povo brasileiro estão apoiando a candidatura de Lula. Sabemos que a luta é difícil e a união se faz necessária porque o Brasil está na frente de todos nós, das nossas divergências. Lembro que lá no exílio fizemos aliança com a direita, com Carlos Lacerda, para derrotar a ditadura”, lembrou.

“O Brasil precisa hoje que a esperança do povo seja realizada de forma absoluta. Lula, quero te dizer que hoje o Brasil precisa da sua condução e nenhuma diferença daqueles que estão aqui sentados te apoiando será maior do que a defesa pela democracia. O povo brasileiro confia na sua condução.”

Lula avança na Frente Ampla e conta agora com apoio de 6 ex-presidenciáveis de 2018. Destaque para Meirelles

Deixe seu comentário aqui embaixo 👇...

Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e um apaixonado pela nossa terra. Atualmente, participo de diversas ações e discussões na área de cultura, comunicação digital, turismo e empreendedorismo, além de ações sociais.

Asfalta Manaus

MANAUSAsfalta Manaus – pavimentando o caminho de uma nova cidade

O cuidado cada vez mais perto

O cuidado cada vez mais perto

Bora Falar de Direito?

Confira as dicas de direito

Agosto dourado: mês de incentivo ao aleitamento materno

Agosto dourado: mês de incentivo ao aleitamento materno

Falando de Contas

Programa do TCE-AM

Facebook

Prefeitura de Manaus

Últimas notícias da Prefeitura de Manaus

Assembleia Legislativa do AM

Últimas Notícias do TCE-AM

Tribunal de Contas do AM

Últimas Notícias do TCE-AM

Últimas Atualizações