Home Notícias Polícia MP-AM deflagra Operação Apneia que apura suposta compra superfaturada para rede pública durante pandemia

MP-AM deflagra Operação Apneia que apura suposta compra superfaturada para rede pública durante pandemia

1 minutos lido
70

Na manhã desta quarta-feira (10), o Ministério Público do Amazonas deflagrou a Operação Apneia para apurar a compra de ventiladores respiratórios sem dispensa de licitação pela Secretaria de Estado de Saúde (SUSAM). Os alvos da operação são: empresários e ex-secretários de Saúde e deverão ser cumpridos 14 mandados de busca e apreensão em residências particulares e na sede da Secretaria de Saúde do Amazonas.

“Os elementos de prova colhidos, até o presente momento, apontam que a contratação, acima referida, foi direcionada para que determinada empresa fosse escolhida para fornecer equipamentos médicos para a SUSAM, fornecimento esse que apresenta fortes evidências de superfaturamento”, diz o Ministério Público. Os crimes sob investigação são os delitos de inobservância de formalidades essenciais para a dispensa de licitação e associação criminosa.

No mês de abril, o Ministério Público de Contas do Estado abriu investigação sobre a compra de 28 respiradores pulmonares para a rede pública de saúde no valor de R$ 2 milhões e 970 mil. O órgão informou que o custo teve uma média de R$ 106 mil e 200 por unidade. Ainda segundo divulgado, o Governo Federal tem adquirido os mesmos respiradores ao preço unitário de R$ 57.300.

O Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) recomendou que a secretária de Saúde, Simone Papaiz, fosse afastada do cargo e que os pagamentos à empresa FJAP e Cia Ltda, responsável pela venda de respiradores, sejam suspensos. Papaiz ainda foi multada em R$ 75.099,15 por graves infrações às normas legais no processo de dispensa de licitação para compra dos respiradores, omissão em atender a determinações do TCE-AM e apresentar documentos e/ou justificativas à Corte de Contas.

O Governo do Amazonas chegou a informar em nota, na época, que os fornecedores elevaram os preços dos produtos por conta da pandemia, e que consultam, diariamente, várias empresas. Informou, ainda, que que foi criada uma comissão interna de sindicância para apurar informações necessárias que possam esclarecer qualquer dúvida dos órgãos de controle.

O Governo do Amazonas já havia determinado que fosse aberta uma sindicância pela Susam e a CGE, que já apuravam as supostas irregularidades.

Operação Apneia que apura suposta compra superfaturada para rede pública durante pandemia – Imagem: Divulgação
Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por No Amazonas é Assim
Carregar Mais Em Polícia

Leia Também

Polícia Militar detém jovem envolvido em sequestro ocorrido na zona leste da capital

Policiais militares da 28ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) detiveram, na madrugad…