Home Notícias Brasil Padrasto é preso após engravidar enteada e obrigá-la a registrar filho como sendo do namorado

Padrasto é preso após engravidar enteada e obrigá-la a registrar filho como sendo do namorado

1 minutos lido
345

Um padrasto de 40 anos foi preso suspeito de engravidar a enteada e obrigá-la a registrar o filho como sendo do namorado, em Palestina de Goiás, no sudoeste goiano. O delegado Ramon Queiroz, responsável pelo caso, disse que o crime aconteceu quando a menina tinha 13 anos, mas ela só teve coragem de denunciá-lo agora, aos 16.

O delegado informou que o suspeito confessou o crime. Ainda segundo o investigador, ele alegou que pediu para a adolescente não contar sobre a gestação por medo de ter o casamento “destruído”.

“Ele confessou que os abusos começaram há três anos e que aconteceu por diversas vezes. Ele também confessou que pediu para que a menina não contasse para que não destruísse seu casamento”, informou o delegado.
Como o nome do suspeito não foi divulgado, o G1 não conseguiu localizar a defesa dele para que se posicionasse.

O homem foi preso preventivamente na última sexta-feira (16). Segundo o delegado, os estupros começaram quando ela tinha 12 anos e aconteceram durante um ano.

A mãe da adolescente disse à polícia que não tinha conhecimento dos abusos e que achava que o homem fosse de “confiança“. Segundo o delegado, não há indícios de que ela sabia do caso e, por isso, não será responsabilizada.

Exames de DNA

As investigações apontaram que, à época da gravidez, o namorado da adolescente ficou desconfiado de que o bebê poderia não ser seu filho, mas foi “persuadido” pelo suspeito.

Ele [namorado] chegou a desconfiar e queria que fosse feito um DNA, mas foi persuadido pelo suspeito e acabou registrando a criança como sendo seu filho”, contou o delegado.
Com a prisão do padrasto, foi colhido o material genético dele para comprovar a paternidade. Também foram enviadas amostras do namorado que registrou o filho à época dos fatos.

O delegado informou que, apesar de o suspeito ter convicção de que o filho é dele, o exame é indispensável para que seja comprovada a verdadeira paternidade da criança. O resultado deve sair nos próximos dias.

O suspeito continuava preso até as 16h20 desta segunda-feira (19) no presídio de Caiapônia, a 50 km de Palestina de Goiás. O delegado informou o inquérito policial deve ser concluído nos próximos dias e que o investigado será indiciado por estupro de vulnerável.

Comentários com Facebook
Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Alessandro Nuñes
Carregar Mais Em Brasil

Leia Também

Homem que faliu, caminha 821 quilômetros até Brusque para apresentar nova proposta pra Luciano Hang

Samuel Miranda é um pequeno empresário da cidade de Guaratinguetá, localizada no estado de…