Home Notícias Polícia Polícia Federal prende Influencer que realizava “sorteios de rifas” nas redes sociais

Polícia Federal prende Influencer que realizava “sorteios de rifas” nas redes sociais

2 minutos o tempo de leitura
118

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu, na manhã desta segunda-feira (21), quatro pessoas suspeitas participação em um esquema criminoso voltado à prática de jogos de azar e lavagem de dinheiro.

Polícia Federal prende Influencer que realizava “sorteios de rifas” nas redes sociais – Imagem: Reprodução

Entre os detidos está o youtuber brasiliense Kleber Moraes, conhecido como “Klebim”, que tem mais de 1 milhão de seguidores nas redes sociais, no canal “Estilo Dub”. Os mandados são de prisão temporária, por cinco dias. Os demais presos são: Pedro Henrique Barroso de Neiva, de 37 anos, Vinícius Couto Farago, de 30 anos e Alex Bruno da Silva Vale, de 28 anos.

Segundo as investigações, o grupo atuava desde o ano passado com o sorteio de veículos em rifas, e lavagem de dinheiro por meio de empresas de fachada e “laranjas”. Em dois anos, os suspeitos faturaram R$ 20 milhões, de acordo com a polícia.

Em nota, o advogado José Sousa de Lima, que representa os alvos da operação desta segunda, disse que “essa prisão é completamente arbitrária, desproporcional e ilegal. Fruto de uma pirotecnia para criar constrangimentos e fatos midiáticos. Confiamos que o Poder Judiciário corrigirá essa arbitrariedade revogando imediatamente essa prisão”.

Foram cumpridos oito mandados de busca em Águas Claras, Guará e Samambaia, no Distrito Federal. Os investigadores apreenderam nove veículos de luxo, entre eles uma Lamborghini e uma Ferrari. Os carros estão avaliados em R$ 3 milhões cada um.

A mansão do líder do grupo, localizada no Park Way, também foi alvo da operação. Foram bloqueados R$ 10 milhões das contas dos investigados. Além dos veículos de luxo, foram apreendidos vários outros carros, uma motocicleta e um jet-ski.

Esquema criminoso

A operação ganhou o nome de “Huracán”, modelo de carro de luxo. A investigação aponta que a associação criminosa era liderada por youtubers, que promoviam rifas de veículos em redes sociais. A prática é proibida pelo governo federal, por ser considerada exploração de jogos de azar.

Os veículos eram preparados com rodas, suspensão e som especiais, e as rifas eram anunciados em um site. Como possuíam milhões de seguidores, os investigados pela operação vendiam facilmente as rifas, segundo a polícia.

Os valores arrecadados seguiam para as contas de empresas de fachada e eram utilizadas para aquisição de novos veículos, registrados em nome de “testas de ferro”.

Comentários com Facebook
Carregar Mais Artigos Parecidos
Carregar Mais De Jussara Melo
Carregar Mais Em Polícia

Espia Esse Aqui

Vídeo: Corpo boia ao lado de banhistas em Flutuante em Manaus neste domingo

Na tarde deste domingo (22/5), um corpo boiou ao lado de banhistas em um flutuante localiz…