Home Notícias Esporte Rebeca Andrade faz história nos Jogos Olímpicos de Tóquio ao som de funk

Rebeca Andrade faz história nos Jogos Olímpicos de Tóquio ao som de funk

2 minutos lido
192

O baile de favela encantou os Jogos de Tóquio. Ao som de funk e sob aplausos de Simone Biles, Rebeca Andrade fez história na manhã desta quinta-feira, 29, ao conquistar a primeira medalha olímpica da ginástica artística feminina do Brasil no Centro de Ginástica Ariake, em Tóquio. A atleta de 22 anos, nascida em Guarulhos (SP), ficou com a prata na prova mais importante da modalidade, o individual geral. O ouro ficou com americana Sunisa Lee e o bronze com a russa Angelina Melnikova.

A prova recebeu enorme atenção mundial, pois oficializou a desistência de Simone Biles, maior estrela dos Jogos de Tóquio, que decidiu priorizar sua saúde mental e abrir mão da disputa. A americana assistiu à disputa no ginásio e demonstrou entusiasmo com a façanha de Rebeca, atleta que se recuperou de uma dura sequência de lesões para cravar seu nome na história do esporte nacional.

Rebeca deixou Guarulhos com 9 anos em busca do sonho olímpico conquistado em Tóquio Jamie Squire/Getty Images
Rebeca deixou Guarulhos com 9 anos em busca do sonho olímpico conquistado em Tóquio Jamie Squire/Getty Images

Rebeca Andrade havia se classificado para a final do individual geral em segundo lugar, apenas atrás de Biles, e confirmou sua condição de favorita com notável força, equilíbrio, graça e controle corporal. A consagração veio com o funk de McJoão na exibição no solo, quente e fervendo, mas só foi possível pois Rebeca brilhou durante toda a competição.

Na prova inicial, de salto, obteve nota 15.300; depois 14.666 nas assimétricas, se mantendo na liderança. Na trave, sua prova mais fraca, recebeu a nota 13.566. No entanto, a equipe brasileira exigiu a revisão da prova, e se deu bem: a nota subiu para 13.666 e Rebeca chegou para a prova de solo em segundo no geral, com 43.632, atrás apenas da americana Sunisa Lee (43.733).

O ouro não veio por um pé para fora do tablado. Mas apesar do pequeno deslize no solo, Rebeca agradou o júri e se manteve na segunda posição, com 57,298 pontos no geral. Sunisa Lee foi a campeã com 57,433 pontos, enquanto a russa Angelina Melnikova terminou com 57,199 pontos.

Rebeca Andrade na final, em Tóquio, em 29 de julho de 2021 — Foto: Dylan Martinez/Reuters
Rebeca Andrade na final, em Tóquio, em 29 de julho de 2021 — Foto: Dylan Martinez/Reuters

Rebeca Andrade, de 22 anos, se tornou a primeira mulher brasileira a conquistar uma medalha na ginástica artística dos Jogos Olímpicos.

A ginasta Rebeca Andrade, de 22 anos, levou a medalha de prata na ginastica olímpica nos Jogos de Tóquio —é a primeira mulher brasileira (e latinoamericana) a chegar a um pódio nessa modalidade.

Ela chegou a liderar a competição, mas acabou atrás da norte-americana Sunisa Lee. A atleta russa Angelina Melnikova ficou em terceiro, com o bronze.

Sunisa Lee, dos EUA, Rebeca Andrade, do Brasil, e Angelina Melnikova, do Comitê Olímpico Russo, medalhas de ouro, prata e bronze, respectivamente, nas Olimpíadas de Tóquio — Foto: Mike Blake/Reuters
Sunisa Lee, dos EUA, Rebeca Andrade, do Brasil, e Angelina Melnikova, do Comitê Olímpico Russo, medalhas de ouro, prata e bronze, respectivamente, nas Olimpíadas de Tóquio — Foto: Mike Blake/Reuters
Comentários com Facebook
Receba nossas notícias no seu e-mail 📩:
Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Marcus Pessoa
Carregar Mais Em Esporte

Leia Também

Sargento da Polícia Militar, Anderson “Choque” fará defesa de cinturão no Skull Champions 2.0

Na disputa mais aguardada da segunda edição do Skull Champions MMA, o sargento da Polícia …