Samuel Reshevsky, 8 anos, derrotando vários mestres de xadrez de uma só vez na França, 1920 - No Amazonas é Assim
Nos Siga nas Redes Sociais
Manaus, AM, domingo, 05 de fevereiro de 2023

Curiosidades

Samuel Reshevsky, 8 anos, derrotando vários mestres de xadrez de uma só vez na França, 1920

Publicado

no

Samuel Reshevsky, 8 anos, derrotando vários mestres de xadrez de uma só vez na França, 1920

Vinte barbas grisalhas sentadas em uma praça jogaram xadrez em Paris contra um menino muito pequeno de 8 anos, e Samuel Reshevsky venceu todos eles. De acordo com o New York Times: em 17 de maio de 1920, Reshevky enfrentou 20 jogadores em uma simultânea em Paris e o menino “movia-se silenciosamente de um tabuleiro para outro, reduzindo seus planos e artimanhas mais habilidosos a nada”. O jovem Samuel – cuja cabeça foi relatada como “bem modelada, mas não anormal” – jogava desde os 5 anos de idade.

Samuel Reshevsky aprendeu xadrez quando tinha 4 anos. Ele ficou conhecido como uma criança prodígio do xadrez e jogava partidas simultâneas de xadrez contra adultos quando tinha 6 anos de idade. Aos 8 anos ele jogava xadrez contra jogadores fortes. Após os eventos da Primeira Guerra Mundial, Reshevsky imigrou para os Estados Unidos (1920).

Aos 9 anos, sua primeira exibição simultânea americana foi com 20 oficiais e cadetes na Academia Militar de West Point. Ele venceu 19 partidas e empatou uma.

Ele percorreu o país e disputou mais de 1.500 jogos aos 9 anos em exibições simultâneas e perdeu apenas 8 jogos. Em seus primeiros anos, ele não foi à escola e seus pais acabaram no Tribunal Infantil de Manhattan sob a acusação de guarda imprópria.

Publicidade

⚠ Siga-nos no Facebook ⤵ 🏹

Reshevsky nunca se tornou um jogador de xadrez verdadeiramente profissional. Ele desistiu do xadrez competitivo por sete anos, de 1924 a 1931, para concluir o ensino médio. Ele se formou em contabilidade pela Universidade de Chicago em 1934 e sustentou a si mesmo e a sua família trabalhando como contador.

Reshevsky era um jogador duro e enérgico que era excelente no jogo posicional, mas também podia jogar um xadrez tático brilhante quando justificado. Ele costumava usar muito tempo na abertura, uma tática perigosa que às vezes o obrigava a jogar o resto do jogo em um período de tempo muito curto.

Abaixo é possível ver Reshevsky jogando xadrez com Douglas Fairbanks enquanto Charlie Chaplin os observa durante as filmagens do filme mudo americano Os Três Mosqueteiros em 1921.

Reshevsky jogando xadrez com Douglas Fairbanks enquanto Charlie Chaplin os observa durante as filmagens do filme mudo americano Os Três Mosqueteiros em 1921.

Reshevsky jogando xadrez com Douglas Fairbanks enquanto Charlie Chaplin os observa durante as filmagens do filme mudo americano Os Três Mosqueteiros em 1921.  / Foto : Biblioteca do Congresso / New York Times.

Isso às vezes perturbava os oponentes de Reshevsky, mas outras vezes resultava em erros de sua parte. O estudo inadequado de Reshevsky sobre a abertura e sua tendência relacionada a cair na pressão do tempo podem ter sido os motivos pelos quais, apesar de seu grande talento, ele nunca se tornou campeão mundial; ele mesmo reconheceu isso em seu livro sobre problemas de xadrez.

Reshevsky especializou-se em aberturas fechadas com as peças brancas, geralmente abrindo com 1,d4, e foi um virtuoso com a Variação de Troca do Gambito da Dama Recusado. Ele raramente abriu com 1.e4 contra forte oposição. Com as peças negras, empregou um repertório amplo e variado ao longo de sua longa carreira.

O GM americano contemporâneo Arnold Denker elogiou a extraordinária tenacidade e espírito de luta de Reshevsky e observou que Reshevsky desenvolveu uma vantagem vital em suas grandes batalhas frente a frente com seu principal rival americano, GM Reuben Fine, particularmente nos campeonatos dos EUA de meados da década de 1930 até o início dos anos 1940. Problemas em jogos contra Reshevsky foram o principal motivo pelo qual Fine nunca conseguiu vencer o campeonato dos Estados Unidos.

Publicidade

⚠ Siga-nos no Facebook ⤵ 🏹

Reshevsky jogando xadrez em 1922.

Reshevsky jogando xadrez em 1922.  / Foto : Biblioteca do Congresso / New York Times.

 

E o meme que Samuel Reshevsky perdeu para todos?

Esse é um equívoco comum que começou como um meme e acabou virando um “fato” na internet. Não, Samuel Reshevsky não perdeu para todos. Na verdade, ele ganhou todos os jogos disputados na foto simultânea da primeira foto. Durante seus primeiros anos, ele jogou cerca de 1.500 partidas e perdeu apenas 8.

O jogo retratado foi disputado em Paris em 17 de maio de 1920, e Reshevky enfrentou 20 jogadores. O New York Times cobriu e colocou a legenda da imagem abaixo:

Vinte barbas grisalhas sentados em uma praça jogaram xadrez ontem em Paris contra um menino muito pequeno de 8 anos, e ele venceu todos eles. Entre os barbas grisalhas estavam alguns dos melhores jogadores da França, e pelo menos um, que se vangloria de ter empatado com Capablanca, o campeão pan-americano de xadrez, mas toda a reputação deles não lhes valeu nada contra uma criança frágil com um rosto pálido e pensativo. rosto que se movia silenciosamente de um tabuleiro para outro, reduzindo seus planos e artimanhas mais hábeis a nada e acasalando-os e acasalando-os quando menos esperavam.

Um jovem Samuel Herman Reshevsky, 1922.

Um jovem Samuel Herman Reshevsky, 1922. / Foto : Biblioteca do Congresso / New York Times.

Um jovem Samuel Herman Reshevsky, 1922.

Herman Reshevsky em 1922./ Foto : Biblioteca do Congresso / New York Times.

 

Samuel Reshevsky e Bobby Fischer

Assim que Bobby Fischer fez sua estreia aos 14 anos no Campeonato dos Estados Unidos com o evento de 1957-58, ele dominou completamente, vencendo em cada uma de suas oito tentativas, deixando Reshevsky, o sete vezes ex-campeão, de volta ao grupo de perseguidores.

Houve pouco amor perdido entre os dois jogadores, separados por uma geração de idade. Antes do torneio de Buenos Aires de 1960, Reshevsky teria dito: “Eu me contentaria com o 19º lugar – se Fischer ficasse em 20º.”

Publicidade

⚠ Siga-nos no Facebook ⤵ 🏹

Reshevsky de fato venceu o torneio de Buenos Aires de 1960, com Fischer bem atrás; esta foi a única vez que Reshevsky terminou à frente de Fischer em um torneio internacional.

Em 1961, Reshevsky começou uma partida de 16 jogos com o então atual campeão dos Estados Unidos Fischer; foi encenado em conjunto em Nova York e Los Angeles. Apesar da recente ascensão meteórica de Fischer, a opinião consensual favoreceu Reshevsky.

Após onze jogos e empate (duas vitórias para cada um com sete empates), a partida terminou devido a uma disputa de agendamento entre Fischer e a organizadora da partida Jacqueline Piatigorsky, com Reshevsky recebendo a parte do vencedor no fundo de prêmios.

No Sousse Interzonal de 1967 , Fischer apareceu 53 minutos atrasado (apenas sete minutos antes da perda automática de tempo) para o jogo com Reshevsky e fez sua jogada inicial sem uma palavra de desculpas.

Reshevsky, que estava convencido de que Fischer havia desistido do torneio, perdeu feio o jogo e reclamou furiosamente aos organizadores.

Publicidade

⚠ Siga-nos no Facebook ⤵ 🏹

Samuel Reshevsky e Bobby Fischer em sua partida de 1961.

Samuel Reshevsky e Bobby Fischer em sua partida de 1961.  / Foto : Biblioteca do Congresso / New York Times.

Apesar de perder aquele jogo, Reshevsky avançou para a próxima fase. Reshevsky também se recusou a jogar pela equipe dos Estados Unidos nas Olimpíadas de Xadrez de 1960, 1962 e 1966 porque Fischer, como campeão dos Estados Unidos, foi escolhido antes dele para o tabuleiro principal. Ele, no entanto, finalmente consentiu em jogar em um tabuleiro inferior em 1970, a única vez que os dois homens jogaram no mesmo time.

Embora Reshevsky e Fischer tivessem uma das rivalidades mais ferozes da história do xadrez, Fischer respeitava muito o campeão mais velho, afirmando no final dos anos 1960 que considerava Reshevsky o jogador mais forte do mundo em meados dos anos 1950.

Isso foi na época em que Reshevsky derrotou o campeão mundial Mikhail Botvinnik em sua mini-partida de quatro jogos, que foi o placar principal da partida de equipes EUA x URSS realizada em Moscou.

Foi apenas em 1968, aos 57 anos, que finalmente perdeu uma partida em que teve tempo para uma extensa preparação. Isso foi contra Viktor Korchnoi em Amsterdã na primeira rodada dos Candidatos.

A partida estava marcada para dez jogos, mas o jovem grande mestre provou ser demais para Reshevsky, que não venceu um jogo e perdeu pelo placar final de 5½–2½.

Reshevsky em 1968.

Reshevsky em 1968. / Foto : Biblioteca do Congresso / New York Times.

Durante sua longa carreira no xadrez, Reshevsky jogou com onze dos primeiros doze campeões mundiais, de Emanuel Lasker a Anatoly Karpov, o único jogador a fazê-lo (ele conheceu Garry Kasparov, mas nunca o jogou).

Ele derrotou sete campeões mundiais: Lasker, José Raúl Capablanca, Alexander Alekhine, Max Euwe, Mikhail Botvinnik, Vasily Smyslov e Bobby Fischer.

Publicidade

⚠ Siga-nos no Facebook ⤵ 🏹

 

Deixe seu comentário aqui embaixo 👇…

Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e um apaixonado pela nossa terra. Atualmente, participo de diversas ações e discussões na área de cultura, comunicação digital, turismo e empreendedorismo, além de ações sociais.

Continue Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook

Agência de Desenvolvimento Sustentável

Matrículas 2023 para novos alunos

Matrículas 2023 para novos alunos

O Trabalho Não Vai Parar

O Trabalho Não Vai Parar!

Governo do Amazonas

Bora Falar de Direito?

Confira as dicas de direito

Governo do Amazonas

Últimas notícias do Governo do AM

Prefeitura de Manaus

Últimas notícias da Prefeitura de Manaus

Assembleia Legislativa do AM

Últimas Notícias do TCE-AM

Últimas Atualizações