Home Notícias Internacional #StopHateforProfit Facebook está afundando e o Zuckerberg e mais marcas grandes anunciam saída

#StopHateforProfit Facebook está afundando e o Zuckerberg e mais marcas grandes anunciam saída

1 minutos lido
117

É notório que a principal rede social hoje é o principal campo de distribuição de discurso de ódio e notícias falsas. Empresas estão deixando de anunciar na plataforma enquanto o criador fechar os olhos para tal problema global. Já chega perto de 200 a lista de empresas – e, entre elas, algumas das maiores anunciantes do mundo – que decidiram suspender a publicidade no Facebook.

Sob o mote #StopHateforProfit (“Pare o ódio pelo lucro”), a campanha é uma resposta à falta de compromisso da plataforma com o controle das informações tóxicas e do discurso de ódio e racista.

Nos últimos dias, foi a vez de Starbucks, Ford, Microsoft e Adidas aderirem ao movimento, que já tinha marcas como Unilever, Coca-Cola, Pepsi e Honda. Para se ter uma ideia da magnitude da campanha, a Starbucks foi o sexto maior anunciante do Facebook no ano passado e as ações do Facebook vêm despencando na Bolsa desde que ela começou, em 17 de junho, como uma das ações de grupos de direitos civis em resposta à morte de George Floyd por um policial.

Na última sexta, o fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, chegou a anunciar que endureceria suas políticas de moderação de conteúdo, coisa que por anos ele se negou a fazer, colocando advertências em posts que violem as políticas da empresa e proibindo mais tipos de mensagens de ódio em anúncios publicitários.

As respostas de Zuckerberg, no entanto, não foram suficientes para parar o crescimento da campanha.

Somente com o anúncio da adesão da Unilever, na sexta (26), as ações do Facebook despencaram 8,3% em Nova York, fazendo com que a empresa perdesse US$ 56 bilhões (R$ 302 bilhões) em valor de mercado. Para a fortuna pessoal de Zuckerberg, foi uma perda de US$ 7,2 bilhões (cerca de R$ 39 bilhões).

A campanha pela retirada dos anúncios demonstra não só uma preocupação com a disseminação de conteúdos racistas ou discriminatórios nas mídias sociais, mas também com a falta de evolução dessas mídias desde as eleições de 2016, quando Donald Trump as utilizou para propagar desinformação e influenciar o voto.

Comentários com Facebook
Carregar Mais Matérias Relacionadas
Carregar Mais Por Marcus Pessoa
Carregar Mais Em Internacional

Leia Também

Câmera de segurança flagra momento que marido pega esposa no ato sexual com ricardão e mata mulher com 40 facadas! Ricardão fugiu!

A descoberta de uma traição pode ser o passo final para a vida a dois de um casal. Mas, em…