Trump quer pedir senhas de redes sociais de imigrantes

29

O governo dos Estados Unidos está cogitando exigir senhas de acesso às redes sociais dos cidadãos dos sete países citados no decreto anti-imigração do presidente Donald Trump. Em audiência no Congresso, o secretário de Segurança Nacional, John Kelly, comentou que a medida pode ser parte do plano para reforçar o controle sobre refugiados e estrangeiros.

Kelly comentou que o governo tem pensado em outros planos, enquanto a Justiça americana analisa a ordem executiva de Trump. No dia 27 de janeiro, o presidente decidiu vetar a entrada, por 90 dias, de estrangeiros do Iraque, Síria, Irã, Líbia, Somália, Sudão e Iêmen.

De acordo com o secret√°rio, a medida seria uma forma de coletar informa√ß√Ķes sobre imigrantes que oferecem perigo aos Estados Unidos, que podem n√£o estar dispon√≠veis publicamente.¬†O secret√°rio ressaltou que a an√°lise das redes √© uma possibilidade que ainda est√° sendo discutida, junto a outros mecanismos de seguran√ßa. ‚ÄúEu francamente n√£o acho que seja o suficiente e o presidente Trump tamb√©m n√£o acha. Temos que, talvez, adicionar algumas camadas de seguran√ßa‚ÄĚ, disse.

Pedir senhas a imigrantes e turistas n√£o √© uma ideia inovadora da gest√£o de Trump. Segundo a emissora NBC, o Departamento de Seguran√ßa Nacional j√° avaliou a medida durante a administra√ß√£o de Barack Obama, mas n√£o chegou a adotar a pol√≠tica. O governo come√ßou a pedir que turistas informem voluntariamente o endere√ßo de seus perfis p√ļblicos nas redes, informou o site Politico. A op√ß√£o aparece nos formul√°rios preenchidos por visitantes dos 38 pa√≠ses que t√™m isen√ß√£o de visto de turismo para os Estados Unidos. O campo, por√©m, n√£o √© obrigat√≥rio.

‚ÄúPode demorar um m√™s, ou algum tempo, para analisarmos, mas se n√£o quiserem nos dar as informa√ß√Ķes, ent√£o n√£o entram‚ÄĚ, afirmou o secret√°rio de Seguran√ßa Nacional, John Kelly.
‚ÄúPode demorar um m√™s, ou algum tempo, para analisarmos, mas se n√£o quiserem nos dar as informa√ß√Ķes, ent√£o n√£o entram‚ÄĚ, afirmou o secret√°rio de Seguran√ßa Nacional, John Kelly.

 

 

Coment√°rios