Webs√©rie conta hist√≥rias de cientistas e ribeirinhos que se uniram para conservar a Amaz√īnia

60

H√° mais de 20 anos, cientistas come√ßaram a desembarcar na cidade de Tef√©, no estado do Amazonas, e se unir a ribeirinhos na regi√£o do M√©dio Solim√Ķes, na Amaz√īnia Central, para colocar em pr√°tica uma ideia: conservar o bioma ajudando quem nele vive.

Hist√≥rias de cientistas e ribeirinhos que se uniram para conservar a Amaz√īnia – Imagem: Divulga√ß√£o

Essa uni√£o possibilitou a implementa√ß√£o de programas que buscam conservar a fauna e flora amaz√īnica e transformar a vida das popula√ß√Ķes tradicionais que vivem em duas unidades de conserva√ß√£o, principais √°reas de atua√ß√£o do Instituto Mamirau√°.

Uma nova webs√©rie lan√ßada pelo Instituto Mamirau√° em comemora√ß√£o aos 20 anos da organiza√ß√£o conta hist√≥rias de alguns dos muitos envolvidos nessa miss√£o. A s√©rie ‚Äú20 anos, 20 personagens‚ÄĚ come√ßa a ser veiculada a partir de hoje (5) nas redes sociais do instituto, organiza√ß√£o social fomentada pelo Minist√©rio da Ci√™ncia, Tecnologia, Inova√ß√Ķes e Comunica√ß√Ķes (MCTIC).

Dos 20 personagens, 12 são do Amazonas, seguido do estado do Pará, com três personagens, São Paulo com dois, e Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, com uma cada.

‚ÄúO pesquisador trouxe o conhecimento cient√≠fico e eu, o local. A√≠ n√≥s casamos‚ÄĚ resume Jo√£o da Silva Carvalho, morador da comunidade Vila Alencar, localizada na Reserva de Desenvolvimento Sustent√°vel Mamirau√°. Hoje, o trabalho de Jo√£o √© essencial nas pesquisas realizadas pelo Programa de Pesquisa e Conserva√ß√£o de Jacar√©s do Instituto Mamirau√°. Ficou conhecido como Jo√£o Jacar√©. O apelido, autoexplicativo.

J√° a pescadora Maria Loziane de Castro relata a transforma√ß√£o que aconteceu na comunidade do Jarau√°, localizada na mesma reserva e que deu in√≠cio ao manejo do pirarucu. ‚ÄúComo mulher, me sinto honrada de ter esse trabalho e pensar que n√£o √© s√≥ os homens que podem fazer‚ÄĚ, diz.

A webs√©rie ‚Äú20 anos, 20 personagens‚ÄĚ foi gravada nos munic√≠pios de Tef√©, Uarini e Mara√£, no Amazonas e em Bel√©m, no Par√°, nos meses de mar√ßo e abril.

Os vídeos são de direção do jornalista Everson Tavares e produção de Eunice Venturi. Os episódios serão lançados nas sexta-feiras pelas redes sociais do Instituto Mamirauá, sendo Youtube, Instagram e Facebook.

Confira ao primeiro episódio abaixo:

Coment√°rios