Home Notícias Amazonas Prêmio Innovare anuncia vencedores nesta terça (07/12); DPE-AM é finalista

Prêmio Innovare anuncia vencedores nesta terça (07/12); DPE-AM é finalista

5 minutos tu consegue ler tudo sem se agoniar
39
FOTO: Clóvis Miranda/DPE-AM

Projeto Órfãos do Feminicídio, do Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos das Mulheres (Nudem), concorre na categoria Defensoria Pública

O Prêmio Innovare anunciará seus vencedores nesta terça-feira (07/12), e a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) está entre os finalistas, concorrendo com o projeto Órfãos do Feminicídio. Idealizado pelo Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos das Mulheres (Nudem), o projeto tem o objetivo de prestar assistência jurídica e psicossocial a crianças e adolescentes que perderam suas mães para o feminicídio.

Considerando a pandemia de Covid-19 e seus desdobramentos, a cerimônia de premiação será realizada de forma remota, às 11h (horário de Brasília) – 10h em Manaus –, com transmissão a partir do Supremo Tribunal Federal (STF), sede do evento, e de cada local onde se encontram os finalistas. O evento contará com a apresentação do jornalista Heraldo Pereira.

O Prêmio Innovare tem como objetivo identificar, divulgar e difundir práticas que contribuam para o aprimoramento da Justiça no Brasil. Neste ano, a 18ª edição da premiação terá uma cerimônia com a participação dos finalistas e imagens das práticas. O jornalista Heraldo Pereira fará a apresentação do evento de um estúdio em Brasília.

Após o anúncio, o vencedor poderá fazer seu discurso. A cerimônia, que acontece no Salão Branco do STF, será transmitida ao vivo pelo canal do Innovare no Youtube.

Na Defensoria do Amazonas, o local de transmissão será o auditório da sede da instituição, na avenida André Araújo, 679, Aleixo, zona centro-sul de Manaus.

Neste ano, o tema do prêmio destaca a Defesa da Igualdade e da Diversidade. O Órfãos do Feminicídio concorre na categoria Defensoria Pública com o Grupo de Trabalho de Mulheres e Bebês em Situação de Vulnerabilidade na Região Centro do Município de São Paulo, da DPE-SP.

Dois trabalhos já foram escolhidos como vencedores do Prêmio Destaque (com o tema Defesa da Igualdade e da Diversidade) e da Categoria CNJ/Tecnologia. A cerimônia desta terça-feira vai revelar os ganhadores das categorias Tribunal, Juiz, Ministério Público, Defensoria Pública, Advocacia e Justiça e Cidadania. Os finalistas são de oito estados, além do Distrito Federal: Amazonas, Bahia, Goiás, Minas, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo.

O projeto – O Órfãos do Feminicídio tem como autoras as defensoras públicas Caroline da Silva Braz, coordenadora do Nudem, que deu início ao projeto em 2018; e Pollyana Souza Vieira, que coordenou o núcleo entre 2019 e fevereiro de 2020. A iniciativa oferece atendimento jurídico e psicossocial através da Defensoria Pública e instituições parceiras para crianças e adolescentes órfãos das vítimas do crime de feminicídio.

Por meio do projeto, o Nudem fez um levantamento dos processos tipificados como feminicídio (consumado ou tentado), iniciados a partir de março de 2015, nas três Varas do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus. A partir do estudo documental, foi feita uma busca ativa e contato com as famílias das vítimas e o acompanhamento social e psicológico com visitas domiciliares, repetidas a cada seis meses para coleta de dados por entrevistas, para identificar as condições dos órfãos e os fatores que levaram aos casos de feminicídio.

A primeira fase do projeto teve como foco os processos de 2015 até o fim de 2018 que estavam tramitando nas três Varas do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus, do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJ-AM).

No período, ao todo, o (Nudem) analisou 84 casos de feminicídio em Manaus, dentre eles 52 tentados e 32 consumados. Foram realizadas visitas a 28 famílias, porém, considerando os critérios de exclusão (casos de feminicídio consumados de vítimas com filhos) e as famílias que aceitaram participar do projeto e permaneceram sendo acompanhadas, permaneceram um total de 11 famílias.

Como o feminicídio afeta todo o núcleo familiar das vítimas, nesse sentido o projeto atendeu aproximadamente 60 familiares, entre filhos, filhas, pai, mães diretamente e indiretamente afetados.

Os dados mais recentes foram registrados de 2019 a agosto de 2020. Nesse período, foram analisados cinco casos consumados – nenhuma das vítimas deixou filhos.

Comentários com Facebook

Carregar Mais Artigos Parecidos
Carregar Mais De Alessandro Nuñes
Carregar Mais Em Amazonas

Deixe um comentário

Espia Esse Aqui

Consumo médio de gás natural atinge marca histórica

A alta na média de consumo foi de 5,5% em comparação com o ano anterior. Comentários com F…