Um verme que come pedra?

270

Estamos habituados a ver os seres comerem algo org√Ęnico. Carne, erva, ou at√© mesmo lixo e sujeira. Mas sempre org√Ęnico. Agora quando nas Filipinas, nas margens do rio Abatan, e encontrado um verme que parece comer pedra, a coisa fica meia estranha.

Tudo come√ßou quando se reparou que nas margens do referido rio as pedras pareciam queijos su√≠√ßos, todas esburacadas. R√°pido se percebeu que isso era obra do Lithoredo abatanica, um mol√ļsculo que escava na rocha para se abrigar, mas que tamb√©m a come. Alem disso, o pequeno ser tritura a rocha no seu trato digestivo em areia, que depois solta como excremento.

Molusco que come rochas e expele areia
Molusco que come rochas e expele areia / Foto : Divulgação

Este ser curioso foi identificado pela primeira vez em 2006 pelo Museu Nacional Francês de História Natural, numa expedição conduzida no local. Contudo, o ser só seria estudado mais recentemente por cientistas norte-americanos.

Uma esp√©cie √ļnica, que mereceu o seu pr√≥prio e novo g√™nero taxon√īmico, tem como parente mais pr√≥ximo os conhecidos ‚Äúvermes dos navios‚ÄĚ, que foram durante seculos os pesadelos dos marinheiros de barcos de madeira. Mas nestes seres, a madeira √© efetivamente usada como alimento, pois no seu sistema digestivo, existem bact√©rias que transformam as lascas de madeira em um caldo nutritivo do qual o verme se alimenta. Contudo, o mesmo n√£o pode ser dito do nosso ‚Äúverme come pedra‚ÄĚ, j√° que as rochas n√£o t√™m nutrientes que possam ser usados pelo animal. Ali√°s, a rocha sai pelo √Ęnus do animal tal como entrou, apenas mais triturado, finamente triturado. Isso levanta a sugest√£o de que o animal estar√° fazendo algo mais particular, interessante e curioso.

De ressalvar que n√£o estamos mesmo falando de vermes. Apesar das apar√™ncias, ambos s√£o mol√ļsculos, como os mexilh√Ķes, ou os polvos. Contudo, a evolu√ß√£o levou a que esses seres ficassem com o corpo alongado (cerca de 10 cent√≠metros, no caso do L. abatanica) e as suas conchas reduzissem de tamanho at√© se tornarem em apenas duas pequenas conchas. O contr√°rio de algumas esp√©cies da sua fam√≠lia, que incluem o maior bivalve do mundo, com conchas que atingem o metro e meio de tamanho.

Lithoredo abatanica / Foto : Divulgação
Lithoredo abatanica / Foto : Divulgação

O certo √© que o animal, comendo e triturando a pedra em areia, acaba contribuindo para o ciclo dos sedimentos, aumentando o substrato no fundo do rio, e possivelmente influenciando o fluxo do rio Abatan. Fica agora em aberto para estudo dos cientistas descobrir a dimens√£o da influ√™ncia do pequeno animal, bem como perceber as intera√ß√Ķes ecol√≥gicas locais, como por exemplo, de que forma outras esp√©cies podem usar os tuneis escavados pelo verme ou de que forma a areia produzida influencia as din√Ęmicas ecol√≥gicas locais.

Claro √© que o principal foco do estudo do animal ser√° o porque do Lithoredo comer rocha. At√© ao momento apenas existem especula√ß√Ķes e compara√ß√Ķes com parentes maiores, nos quais bact√©rias desempenhariam um papel fundamental no processamento do alimento. Perceber o porque de o animal ter desenvolvido a capacidade de moer pedra, bem como a forma que o faz, s√£o pontos de interesse de investiga√ß√£o por parte dos investigadores.

Coment√°rios