Aterros dos Igarapé que deram origem a Avenida Eduardo Ribeiro

2723

Você sabia que onde hoje é a Avenida Eduardo Ribeiro, antigamente eram vários Igarapés? Você pode não imaginar, mas a água que sobe e invade as ruas do centro de Manaus, estão apenas tomando o espaço natural delas. Diversos igarapés que foram aterrados (Ribeira, Aterro e Espírito Santo) agonizam todos os anos contra a ação destrutiva do homem.

A imagem abaixo é uma foto histórica que marca o inicio do aterro do Igarapé Espírito Santo.

Galerias construídas no igarapé do espírito santo e avenida Eduardo ribeiro, nos arredores do Porto de Manaus
Galerias construídas no igarapé do espírito santo e avenida Eduardo ribeiro, nos arredores do Porto de Manaus

Nessa foto começa os preparatórios para o aterramento dos igarapés e construção da Avenida Eduardo Ribeiro.

HOJE TUDO ISSO √Č ESGOTO, MAS ANTES ERA A ENTRADA PRINCIPAL DO IGARAP√Č DO ESP√ćRITO SANTO

Bombeiros mostram a saída da galeria pelo Roadway / foto Chico Batata
Bombeiros mostram a saída da galeria pelo Roadway / foto Chico Batata

Esse registro demonstra o in√≠cio do processo de constru√ß√£o da principal Avenida do Centro de Manaus. O Governador Eduardo Ribeiro lan√ßou-se na empreitada de estabelecer uma Manaus conforme os padr√Ķes europeus de civiliza√ß√£o, aterrou, canalizou e transformou alguns igarap√©s da √°rea central em ruas, avenidas e pra√ßas. Al√©m da quest√£o est√©tica impl√≠cita nesta, houve certa preocupa√ß√£o com a sa√ļde da popula√ß√£o local, tendo-se iniciado, no governo de Fileto Pires Ferreira (1896-1900), o aterro de igarap√©s de onde irradiava o mosquito da febre palustre. Essas obras trouxeram consequentemente, danos ambientais na medida em que a grande quantidade de solo era escavada da √°rea do centro hist√≥rico da cidade para o aterro dos canais. As √°guas pluviais n√£o escoavam e tampouco desaguavam no rio, formando-se os p√Ęntanos. Come√ßaram a surgir cr√≠ticas √†s pol√≠ticas de interven√ß√Ķes, pois tais medidas acarretavam desequil√≠brio ambiental.

Avenida Eduardo Ribeiro sendo drenada e aterrada. Notar o cano de concreto no meio do que seria mais tarde a avenida. O Vale Amaz√īnico e o problema da borracha - 1912, Manoel Lobato.
Avenida Eduardo Ribeiro sendo drenada e aterrada. Notar o cano de concreto no meio do que seria mais tarde a avenida. O Vale Amaz√īnico e o problema da borracha – 1912, Manoel Lobato.

 

Registro da antiga Ponte da Imperatriz

Constru√≠da para ligar os antigos bairros de Esp√≠rito Santo e Rep√ļblica, estava situada na √°rea hoje compreendida como o in√≠cio da Avenida Eduardo Ribeiro, paralela aos jardins da igreja da Matriz.

Registro da antiga ponte da imperatriz  em 1899
Registro da antiga ponte da imperatriz em 1899

Registro da antiga Ponte da Imperatriz, constru√≠da para ligar os antigos bairros de Esp√≠rito Santo e Rep√ļblica, estava situada na √°rea hoje compreendida como o in√≠cio da Avenida Eduardo Ribeiro, paralela aos jardins da igreja da Matriz.

Essa localização foi toda aterrada e construído o Porto de Manaus.

Em primeiro plano, a ponte da Imperatriz sobre o igarapé do Espírito Santo, depois aterrado e que deu lugar a atual Avenida Eduardo Ribeiro. Notar também o complexo da Booth Line ainda com antigos sobrados.

Registro da antiga Ponte da Imperatriz
Registro da antiga Ponte da Imperatriz em 1899

 

IGARAP√Č DO ESPIRITO SANTO, QUE DEPOIS DE ATERRADO E CANALIZADO TRANSFORMOU-SE NA AVENIDA EDUARDO RIBEIRO. FOTO DE 1889.

Igarapé do Espírito Santo
Igarapé do Espírito Santo

GALERIAS PLUVIAIS CONSTRU√ćDAS NO LOCAL ONDE ERA O IGARAP√Č DO ESP√ćRITO SANTO
O projeto de esgotos baseados na Separate System expostos no sal√£o nobre na associa√ß√£o dos empregados no com√©rcio √© escolhido por ser considerado o mais apropriado √†s condi√ß√Ķes topogr√°ficas de Manaus, al√©m de ser mais econ√īmico, porque a cidade j√° tem um sistema de galerias que exige apenas uma amplia√ß√£o e retifica√ß√£o de acordo com a nova drenagem. Os condutores da rede de esgoto ser√£o de cimento armado e refor√ßado e o encanamento de drenagem na parte que passar sob os pr√©dios a esgotar, esse sistema foi planejado para atender 60 mil habitantes naquele per√≠odo, atendendo principalmente as localidades mais populosas.

Galerias Pluviais Construidas No Local Onde Era O Igarapé Do Espírito Santo
Galerias Pluviais Construidas No Local Onde Era O Igarapé Do Espírito Santo

 

IGREJA DA MATRIZ e¬† o IGARAP√Č DO ESP√ćRITO SANTO

Igreja Da Matriz E O Igarapé Do Espírito Santo
Igreja Da Matriz E O Igarapé Do Espírito Santo

Avenida Eduardo Ribeiro. Registro de Augusto Felippe Fidanza em 1885. Esta foto esta contida na obra: A fotografia no Brasil – 1840- 1900 Rio de Janeiro FUNARTE -1985 – Pg 180.
Esse local foi todo aterrado e onde aparece essa ponte, atualmente há um medalhão de concreto com o símbolo do império de Portugal.

MEDALH√ÉO COM S√ćMBOLO DO IMP√ČRIO DO BRASIL
MEDALH√ÉO COM S√ćMBOLO DO IMP√ČRIO DO BRASIL

Marco da construção das galerias Pluviais construídas pelos ingleses. Local onde ficava a ponte sobre o Igarapé do Espírito Santo Р2005
ESTA MURALHA E ATERRO DA PRA√áA FOR√ÉO FEITOS NO ANO DE 1881 – SENDO PREZIDENTE DA PROVINCIA …”
Fotos de Chico Batata

MEDALH√ÉO DO IMP√ČRIO DO BRASIL
MEDALH√ÉO DO IMP√ČRIO DO BRASIL

Local onde fica o Medalhão de Concreto que marca o local exato onde ficava a ponte do igarapé do Espírito Santo e que foi aterrado, este medalhão é português, há um desenho nele da coroa Portuguesa.
Fotos de Chico Batata

local exato onde ficava a ponte do igarapé do Espírito Santo
local exato onde ficava a ponte do igarapé do Espírito Santo
local exato onde ficava a ponte do igarapé do Espírito Santo
local exato onde ficava a ponte do igarapé do Espírito Santo

Texto orgulhosamente kibado da Manaus de Antigamente

Coment√°rios