Cida Aripória, pioneira do rap no Amazonas, lança esta semana, seu primeiro EP “Originária” e comemora seus de 20 anos de carreira - No Amazonas é Assim
Nos Siga nas Redes Sociais
Manaus, AM, sábado, 04 de fevereiro de 2023

Agenda Cultural

Cida Aripória, pioneira do rap no Amazonas, lança esta semana, seu primeiro EP “Originária” e comemora seus de 20 anos de carreira

Publicado

no

Cida Aripória / Foto : Divulgação

Cida Aripória é cantora, compositora e rapper amazonense originária do povo Kokama. Ela iniciou sua carreira na cultura hip-hop, mais precisamente no rap, no final do ano de 2002, no bairro do mutirão, por isso deu o título “Originária” ao seu primeiro EP, enquanto comemora, ao mesmo tempo, 20 anos de carreira.

Cida é uma das primeiras mulheres a cantar rap no estado do Amazonas. Já passou por diversos grupos construindo sua caminhada do rap feminino na cidade de Manaus. Ela também é a primeira mulher indígena do Amazonas a lançar um EP de rap misturando o ancestral, dos povos originários ao urbano periférico.

Com uma carreira consolidada no cenário cultural local, nacional e até internacional, feita através das parcerias musicais, ela tem produzido e exaltado o nome do Amazonas em lugares nunca antes ocupados pelo rap amazonense.

“Dei ao meu EP um nome que representasse toda a minha caminhada no hip-hop/rap, e pensei em algo que tivesse a ver com a minha história ancestral de raízes indígenas. Certo dia eu sonhei com esse nome. No sonho, alguém me chamava assim e tempos depois vi que esse nome diz tudo. Quem não conhece minhas raízes não tem a visão ampliada do que acontece ao meu redor”, diz a artista.

Publicidade

⚠ Siga-nos no Facebook ⤵ 🏹

Cida Aripória / Foto : Divulgação

Cida Aripória / Foto : Divulgação

De acordo com a rapper, o EP se divide em 4 blocos com 5 músicas que faz um total de 20 músicas ao todo, que é equivalente ao seu tempo de carreira, misturando boombap, trap e sonoridades da floresta e dos povos originários.

Ainda de acordo com ela, a primeira parte do EP “Originária”, traz músicas que a lançaram como MC. Composições que ela já tinha, mas que ainda não haviam sido produzidas com qualidade e nem com os beats originais, trazendo também a representação da Old School.

Cida Aripória / Foto : Divulgação

Cida Aripória / Foto : Divulgação

Ela afirma ainda que existem outras composições a serem lançadas, mas escolheu de primeira as composições “Amazônia de Periferia”, “Março de Lutas”, “Manaus das Minas” porque representa o início de tudo, com exceção da música “4 Elementas” que é uma releitura de uma música antiga do primeiro grupo de rap da qual ela integrava, a AMK, onde homenageia, segundo ela, um irmão de rap preto, sócio já falecido.

“Um dos destaques do EP é a ‘intro ini tsawa’, que significa “nossa alma” que é a abertura dos caminhos e retrata a música de meus ancestrais Kokama, cantada pela liderança indígena, Jade Tsetsu Kokama”, acrescenta Cida.

Cida Aripória / Foto : Divulgação

Cida Aripória / Foto : Divulgação

Além da música, Cida Aripória atua na produção cultural de eventos e projetos femininos ligados a cultura hip-hop, pois ela vem de uma longa experiência que iniciou ainda nos anos 2000 quando não tinha eventos de hip-hop que desse visibilidade às mulheres.

Cida Aripória / Foto : Divulgação

Cida Aripória / Foto : Divulgação

“Fundamos o primeiro coletivo de mulheres no hip-hop do estado do Amazonas, para que as manas tivessem onde se apresentar, expor seus trabalhos de diversas linguagens. Realizamos o primeiro Encontro de Graffiti da Região Norte, em 2008, e o primeiro Campeonato de Skate Feminino de Manaus, em 2009, e assim como o primeiro grupo de rap de mulheres da história do estado do Amazonas, abrimos e oportunizamos para o crescimento e visibilidade das mulheres no cenário, e eu tenho muito orgulho de ter construído isso ao longo do tempo ao lado de várias manas”, afirma Cida.

O trabalho de Cida Aripóia é enraizado na cultura hip-hop como também nas sonoridades da região Norte, sobretudo na ancestralidade indígena, que reflete muito no seu cotidiano, cheia de simbolismos, que remetem à luta das mulheres originárias, da representatividade feminina na arte urbana, que de acordo com ela ainda é predominantemente masculina, mas que ao longo do tempo teve o reconhecimento da presença feminina fruto de muita insistência.

Cida Aripória / Foto : Divulgação

Cida Aripória / Foto : Divulgação

Cida mais uma vez marca seu nome na história da música e da arte amazonense com o lançamento do seu EP Originária, disponível a partir de 30 de novembro, no seu canal do YouTube Cida Aripória Oficial.

Você pode conferir através do link

https://www.youtube.com/@CidaAriporia

Publicidade

⚠ Siga-nos no Facebook ⤵ 🏹

Este é um projeto contemplado pelo edital Prêmio Amazonas Criativo 2021, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Amazonas.

Deixe seu comentário aqui embaixo 👇…

Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e um apaixonado pela nossa terra. Atualmente, participo de diversas ações e discussões na área de cultura, comunicação digital, turismo e empreendedorismo, além de ações sociais.

Continue Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook

Agência de Desenvolvimento Sustentável

Matrículas 2023 para novos alunos

Matrículas 2023 para novos alunos

O Trabalho Não Vai Parar

O Trabalho Não Vai Parar!

Governo do Amazonas

Bora Falar de Direito?

Confira as dicas de direito

Governo do Amazonas

Últimas notícias do Governo do AM

Prefeitura de Manaus

Últimas notícias da Prefeitura de Manaus

Assembleia Legislativa do AM

Últimas Notícias do TCE-AM

Últimas Atualizações